Minha Casa Pre Fabricada

Sheinbaum desfará a liberalização energética do México?

O facto de Claudia Sheinbaum, do atual partido Morena, ter conquistado as recentes eleições presidenciais mexicanas não foi nenhuma surpresa.

Mas o facto de Sheinbaum ter vencido com quase 60 por cento dos votos nacionais numa eleição esmagadora, levando a coligação à beira de uma maioria absoluta em ambas as câmaras do Congresso, apanhou os observadores desprevenidos.

Isto suscitou preocupações de que um mandato tão esmagador pudesse abrir caminho para o presidente eleito promover o legado de Andrés Manuel “AMLO” López Obrador e implementar grandes mudanças constitucionais.

Entre os que temem mudanças estão os que investem no sector energético do México – uma indústria que o altamente popular AMLO procurou persistentemente reformular, pressionando por uma maior participação das empresas estatais. As suas propostas derrubariam uma reforma pró-mercado de 2013 que abriu o petróleo e a electricidade ao sector privado, numa medida que atraiu as críticas de AMLO desde o primeiro dia.

Durante os seus seis anos no cargo, as tentativas de reforma energética de AMLO foram frustradas repetidas vezes tanto pelo Congresso mexicano como pelo sistema judicial do país.

O primeiro derrubou uma proposta de reforma constitucional de 2021 que priorizava geradores controlados pelo Estado nos mercados de energia, enquanto uma decisão da Suprema Corte no início deste ano também considerou um projeto de lei semelhante inconstitucional, apontando para o favoritismo em relação a empresas públicas, como a gigante de hidrocarbonetos Pemex e a Comissão Federal de Eletricidade. (CFE).

Como protegida de AMLO, a Presidente eleita Sheinbaum está agora preparada para cumprir as ambições do seu mentor, fortalecida por uma coligação parlamentar cujo poder raramente foi visto na política mexicana moderna.

A aliança…



Com informações de Brazilian Report.

Similar Posts