Minha Casa Pre Fabricada

Bolsonaro se envolve em investigação de trama golpista

O ex-presidente de extrema direita Jair Bolsonaro reuniu uma grande multidão em São Paulo no domingo para mostrar seu apoio a ele – incluindo vários políticos. Em muitos aspectos, o evento foi um sucesso político.

Bolsonaro mostrou que continua sendo o porta-estandarte da direita brasileira, embora tenha sido declarado inelegível para o cargo até 2030.

Nos redutos da direita, ele ainda pode ser um fazedor de reis – o que explica por que Ricardo Nunes, o prefeito de São Paulo que concorre à reeleição ainda este ano, fez questão de beijar o anel do ex-presidente no domingo.

No entanto, do ponto de vista jurídico, os acontecimentos de domingo podem voltar a assombrar Bolsonaro.

O seu discurso de domingo foi indiscutivelmente mais brando do que os comícios que realizou nos últimos anos (uma série de discursos que variaram desde o apelo ao abate de membros do Partido dos Trabalhadores até à promessa de ignorar as decisões do Supremo Tribunal). Ainda assim, poderiam complicar ainda mais a já precária posição jurídica de Bolsonaro.

O ex-presidente enfrenta múltiplas investigações criminais (inclusive por orquestrar uma conspiração golpista), teve seu passaporte confiscado, foi proibido de falar com muitos de seus aliados (que são considerados co-conspiradores em uma conspiração para derrubar a democracia) e foi convivendo com o medo de ser preso a qualquer momento.

Três professores de direito penal entrevistados por O Relatório Brasileiro Acredito que Bolsonaro no domingo fortaleceu ainda mais as já abundantes evidências contra ele.

Os números de comparecimento foram motivo de debate acalorado no Brasil. Foto: Vincent Bosson /Fotoarena/Folhapress

“Um golpe porque havia um projeto de decreto declarando estado de defesa. Um golpe usando a Constituição? Pelo amor de Deus…”, disse Bolsonaro a seus apoiadores no domingo.

Segundo a Polícia Federal, Bolsonaro não apenas encorajou seus eleitores a não aceitarem os resultados das eleições, mas também mobilizou pessoas ao seu redor no governo e nos altos escalões das Forças Armadas para se prepararem – em termos legais e militares – para tomar o poder.

Inadvertidamente ou não, o ex-presidente perdeu a oportunidade de negar que o seu governo tivesse lidado com projetos de decretos golpistas e, além disso, fez saber que considerava estas violações frontais da Constituição opções legítimas. Ao fazê-lo, deixou clara a sua intenção de manipular o regime democrático em seu próprio favor.

Como a polícia chegou a acusar Bolsonaro de tramar um golpe

Em 8 de janeiro de 2023, milhares de apoiadores do ex-presidente invadiram e saquearam os edifícios que abrigam os gabinetes presidenciais, o Congresso e o Supremo Tribunal. A polícia acredita que os manifestantes queriam criar o caos e lançar as bases para a intervenção dos militares – e devolver Bolsonaro ao poder.

À medida que a investigação sobre quem incitou, financiou e organizou os motins avançava, as autoridades…



Com informações de Brazilian Report.

Minha Casa Pre Fabricada

Similar Posts