Minha Casa Pre Fabricada

Bolsonaro fica calado durante depoimento sobre plano golpista

O ex-presidente de extrema direita Jair Bolsonaro permaneceu em silêncio na quinta-feira durante uma audiência da Polícia Federal como parte de uma investigação sobre uma tentativa de golpe para mantê-lo no cargo, desafiando os resultados das eleições presidenciais de 2022.

Paulo Cunha Bueno, um dos advogados de Bolsonaro, disse aos repórteres na quinta-feira que seu cliente “nunca teve qualquer simpatia por qualquer tipo de movimento golpista”.

Isso é falso.

Durante as manifestações do Dia da Independência, em 7 de setembro de 2021, Bolsonaro disse a uma multidão de milhares de apoiadores em Brasília que em breve convocaria uma reunião do Conselho da República, responsável por aconselhar o presidente antes que ele decida se solicitará uma estado de sítio – situação em que as garantias constitucionais são suspensas e o presidente recebe poderes de emergência.

Um instrumento semelhante estava previsto para ser utilizado no final de 2022 para anular o resultado eleitoral, segundo minuta de decreto encontrada pela Polícia Federal na casa do ex-ministro da Justiça Anderson Torres.

Outra investigação da Polícia Federal descobriu que altos funcionários do governo Bolsonaro anterior (2019-2022) faziam parte de uma quadrilha criminosa que visava inundar o discurso público com falsas alegações para desacreditar o sistema de votação eletrônica do Brasil, recrutar oficiais militares para apoiar um golpe, elaborar projetos legais argumentos para apoiar as suas reivindicações, incitar os seus apoiantes à revolta e espiar juízes e opositores políticos.

Imagens de uma reunião de gabinete gravada em 5 de julho de 2022 e divulgada pelo Supremo Tribunal Federal no início deste mês mostram o então presidente instruindo seus ministros a desafiar o sistema eleitoral brasileiro e espalhar desinformação em seu nome.

Os advogados de Bolsonaro pediram, sem sucesso, o adiamento da audiência, alegando que não tiveram acesso a todo o conjunto de provas contra seu cliente.

Outros ex-integrantes do governo Bolsonaro também foram ouvidos hoje na Polícia Federal, como o general da reserva Walter Braga Netto, seu ex-companheiro de chapa em 2022 e ministro da Defesa, e o general da reserva Augusto Heleno, responsável pela inteligência federal. .

Fabio Wajngarten, porta-voz de Bolsonaro, confirmou aos repórteres que o ex-presidente participará de uma manifestação marcada para este domingo em São Paulo, na qual Bolsonaro se compromete a “se defender” de “todas as acusações”.



Com informações de Brazilian Report.

Similar Posts